Para Onde o Vento Me Levar... Vou VOANDO...
Sexta-feira, 27 de Abril de 2007
Fim do mito

Quando comecei a contar às pessoas que vinha para a Roménia trabalhar durante 9 meses, ouvia uma de três frases:

  1. Vais aprender a vender pensos rápidos nos semáforos?
  2. Mas porquê a Roménia?
  3. Dragostea din tei...

Dragostei di tei? perguntei eu da primeira vez que alguém me disse isto. Como é que me fui esquecer dessa música que durante um Verão inteiro passou nas discos de Portugal? Não sei!

Excepto a Roménia e a República da Moldova, o resto do mundo acredita que os O-zone são romenos! A verdade é que vivemos uma ilusão colectiva... os O-zone não são romenos.

Então porque é que eu escrevo sobre eles??

Porque no outro dia a Magdalena apresentou-me às boysband romenas do momento e os O-zone fluiram na conversa... "Everyone thinks that O-zone are from Romania!!" disse-lhe, ao que ela sorriu e respondeu que era um erro comum!

 

Ela contou-me que este magnífico e colorido grupo teve imenso sucesso no Norte da Europa, "youtubamos" O-zone e digo-lhe que música fez sucesso naquele belo Verão. E foi aí que tudo descambou... porque ela começou a traduzir as letras e não conseguíamos parar de rir.

 

Deixo com vocês a magnífica Despre tine com a respectiva tradução...

 

Sobre Ti

Eu acordo contigo nos meus pensamentos

É sobre ti que eu quero cantar

Todos gostam da minha canção de amor

 

Tu não respondeste ao meu sms

Eu escrevo-te tantas vezes

Talvez tratei-te mal mas tu sabes que eu te amava

Eu estou a afogar-me dentro dos teus olhos

Todos choram por eles

Tu és um anjo na terra

Eu canto sobre ti dia e noite

 

Se tu vieres comigo no meu sonho

Eu ensino-te como hás-de rir

E eu cantarei para ti até ao amanhecer

A minha canção de amor

 

Tu não respondeste ao meu sms

Eu escrevo-te tantas vezes

Talvez tratei-te mal mas tu sabes que eu te amava 

Eu estou a afogar-me dentro dos teus olhos

Todos choram por eles

Tu és um anjo na terra

Eu canto sobre ti dia e noite...

 

 


espelho-me: à descoberta

Sangrado por Vlada às 08:05
link do post | Morde! | Dentadinhas (1) | favorito

Segunda-feira, 23 de Abril de 2007
Mihaela Runceanu

Muito antes do nascimento do estilo Manele (essa preciosidade), existiram excelentes cantores na Roménia.

A pedido de várias famílias reescrevo o primeiro parágrafo...

 

Antes e depois do nascimento do estilo Manele (essa preciosidade) que, obviamente, veio enriquecer a música romena, disso não haja dúvidas, existiram e existem bons cantores e boas bandas na Roménia.

Uma delas foi Mihaela Runceanu e, apesar de não perceber quase nada ou mesmo nada das letras das músicas dela, devo dizer que tinha uma voz excelente.

Obrigado Magdalena por me teres apresentado a esta voz espectacular.

 

Breve cronologia:

4 Maio 1955 - nasce Mihaela Valentina Runceanu, filha de Nicolae e Lenuţa, na cidade de Buzău.

1964 - 1972 - frequentou o liceu de música e artes plásticas de Buzău.

1972 - o concurso em que participou deu-lhe o reconhecimento público como solista.

1974 - entra para o Conservatório de música.

1980 - 1989 - foi professora de canto na Escola de Artes de Bucareste.

1 Novembro 1989 - assassinada brutalmente no seu pequeno apartamento, o motivo: roubo!

Ganhou vários concursos e prémios durante o seu percurso musical.

 


 

Apresento-vos Mihaela Runceanu!

 

E adevarat iubirea mea (É verdade meu amor)

 

De-ar fi sa vii (Se tu pudesses vir)



espelho-me: musical
Clica-me: , , ,

Sangrado por Vlada às 08:28
link do post | Morde! | Dentadinhas (1) | favorito

Domingo, 22 de Abril de 2007
Ao longo do Danúbio

 

Breve o dia

 

Breve o dia, breve o ano, breve tudo.

Não tarda nada seremos.

Isto, pensado, me dá a mente absorve

Todos mais pensamentos.

O mesmo breve ser da mágoa pesa-me,

Que, inda que mágoa, é vida

Ricardo Reis

 


 Cada dia sem gozo não foi teu

 

Cada dia sem gozo não foi teu

Foi só durares nele. Quanto vivas

Sem que o gozes, não vives.

Não pesa que amas, bebas ou sorrias:

Basta o reflexo do sol ido na água

De um charco, se te é grato.

Feliz o a quem, por ter em coisas mínimas

Seu prazer posto, nenhum dia nega

A natural ventura!

Ricardo Reis

 

  

 

 


 

  


  

 

 

No Magno Dia

No magno dia até os sons são claros. 
Pelo repouso do amplo campo tardam. 
Múrmura, a brisa cala. 
Quisera, como os sons, viver das coisas 
Mas não ser delas, consequência alada 
Em que o real vai longe. 

Ricardo Reis

 

 

... The woods are lovely, dark and deep,

But I have promises to keep,

And miles to go before I sleep,

And miles to go before I sleep.

Robert Frost

 


 

 

 


espelho-me: So happy I felt
pautas: Vamos Fugir - skank
Clica-me: , , ,

Sangrado por Vlada às 09:55
link do post | Morde! | favorito

Quarta-feira, 18 de Abril de 2007
Romanian Tradition says...

... A week before Easter Sunday...

... people go to the church with willow twings to be blessed, celebrating the way Jesus Christ was received when he arrieved in Jerusalem.

... people leave the church with blessed willow twings and hang them on their doors to bring good luck into their houses.

... people take flowers to the church and celebrate the Name's Day, everyone named after a flower celebrates on this day.


... On Easter Saturday...

... the eggs are boiled and painted, and red is always used symbolising Christ's crucification blood, the blood that fall on a basket full of eggs belonging to Maria Madalena or to the Virgin Mary.

... the painted eggs are offered to friends and relatives.


... On Easter Sunday...

... people go to church for the religious service.

... people take candles with them and light them up on the priet's candle, who walks in the peregrination's top.

... people go home for lunch. It's time to "crack" the eggs! Childreen look for hiden painted eggs and adults knock boiled painted eggs sayin the Easter Greatting.

 

... Greatting...

... while knocking his/hers egg against another adults egg he/she says:

"Cristos a inviat!" (Christ is Risen!)

... hearing the answer:

"Adeverat a inviat!" (Indeed He is Risen!)


... On Easter they eat...

... fluffy and sweet cozonac (with soft moments of chocolat and raisins).

... drob (liver, kidney and boiled egg "sort of" paté).

... lamb.

... boiled and painted easter eggs.


... Easter Troparion

Hristos a inviat din morti (Christ is risen from the dead)
cu moartea pe moarte calcand (Trampling down death by death)

si celor din morminte viata daruindu-le. (And upon those in the tombs, Bestowing life!) 

 


espelho-me: Em falta... pelo atraso!
pautas: Imortal - Rodrigo Leão
Clica-me: , ,

Sangrado por Vlada às 08:21
link do post | Morde! | favorito

Segunda-feira, 16 de Abril de 2007
Hora de Ponta

Estou em estado de choque... aparvalhada mesmo!!

Andar de táxi na hora de ponta de Bucareste é a loucura... principalmente quando um senhor resolve, alegremente, passear de mota numa das principais avenidas da cidade... em sentido contrário!!


espelho-me:
Clica-me: ,

Sangrado por Vlada às 15:28
link do post | Morde! | Dentadinhas (1) | favorito

Sexta-feira, 13 de Abril de 2007
Orfeu e Eurídice

Uma história dedicada a alguém que neste momento precisa mais dela do que eu... 


 

Orfeu era filho da musa Calíope e do deus-rio Eagro. Cresceu entre as musas, aprendeu a música e a poesia dos deuses. O seu canto era tão suave que as feras o seguiam, mansas e preguiçosas e as árvores inclinavam-se para ouvi-lo melhor e as rochas perdiam algo da sua dureza, amaciadas pelas notas da sua lira.
Menino ainda, conheceu a Ninfa Eurídice, filha de Apolo. De mãos dadas, corriam pelos campos e as flores desabrochavam à sua passagem. Cresceram sonhando com o dia do casamento, quando as musas e as Ninfas se reuniriam num coro para os cânticos nupciais. Himeneu foi convocado para abençoar com sua presença o casamento, ao qual compareceu, mas não levou consigo augúrios favoráveis.

Coincidindo com tais prognósticos, Eurídice, pouco depois do casamento, quando passeava com as ninfas, foi vista pelo pastor Aristeu, despertando o desejo dorido de amá-la. E um dia ele não aguentou mais e aproximou-se dela devagar.

Eurídice fugiu, perseguida por Aristeu. Correu e não viu a serpente enorme enroscada entre as plantas. A picada foi quase indolor e não entendeu quando a morte que corria nas suas veias enfraqueceu as suas pernas e a obrigou a cair no tapete florido.

O pobre Orpheu abandonou-se à dor. O pranto de sua lira encheu os campos e subiu ao Olimpo, mas ele, cego de desespero, desceu ao Hades à procura da sua amada. Ao som da sua lira, Caronte atravessou Aqueronte sem cobrar a viagem, Cérbero parou de rugir e, à sua passagem, Tântalo esqueceu-se da fome e da sede, as Danaides pararam de encher o tonel furado e os sofredores distraíram-se das suas penas.
Quando chegou ao palácio das profundezas, Hades e Perséfone já o esperavam.

- Muito bem - disse Hades, depois de ouvir as súplicas de Orpheu. - Permito que a tua noiva te acompanhe, mas imponho uma condição: vais na frente e ela seguir-te-á e, por motivo nenhum, poderás olhar para trás ou a perderás para sempre.

Orpheu deixou o salão denso de brumas cheio de esperanças e procurou a estrada que levava às portas do Hades. Mal deu os primeiros passos, sentiu que estava a ser seguido. Passos leves e tímidos seguiam-no, mas nada conseguia ver com os cantos dos olhos. Não se voltou. A felicidade que sentia era imensa. Eurídice estava logo atrás e sairia com ele. As lembranças ferviam na sua cabeça e ele apegava-se-lhes para resistir à tentação de olhar para trás. E junto com ela, apareceu também Aristeu, apaixonado, tentando tocá-la, tentando possuí-la.

- E se a serpente não a tivesse picado? - pensou ele subitamente. - Teria ela resistido aos encantos de Aristeu? Quem sabe, no íntimo, ela também não desejava o amor daquele criador de abelhas? - procurou lembrar-se do olhar de Eurídice e viu-o cheio de paixão. - Por ele ou por Aristeu?

O ciúme instalou-se-lhe na sua alma.

- Preciso saber - disse baixinho - preciso ter certeza do porquê do brilho de paixão que vi nos olhos dela na última vez em que me contemplou. Se eu pudesse ver os seus olhos novamente...
Foi saudade, a dúvida ou o ciúme que fez Orpheu olhar para trás? Nem mesmo ele soube dizer. Quando deu por si, estava extático, vendo a imagem de Eurídice diluir-se no ar. E a última coisa que se apagou foi o brilho da paixão que acendia seus olhos...



espelho-me: far away
Clica-me:

Sangrado por Vlada às 21:53
link do post | Morde! | Dentadinhas (1) | favorito

Quarta-feira, 4 de Abril de 2007
Piesã de Aprilie

Após árdua pesquisa e selecção eis que publico a April's Playlist Manele!!

 

Para o mês de Abril aconselho:

 

TANTI TANTI... todas as mulheres deviam ter uma mãe assim! 

 


 

O Amor é lindo, indepententemente do país onde se encontrem a mulher cor-de-rosa e o estiloso de branco!!

 

 

Não percam a próxima playlist...


Clica-me: , ,

Sangrado por Vlada às 16:42
link do post | Morde! | Dentadinhas (2) | favorito

Segunda-feira, 2 de Abril de 2007
Profissões...

Existe um certo e determinado BLOG que descreveu as profissões mais deprimentes do mundo... E ao ler semelhante mescla de palavras que até fazem sentido senti-me inspirada para escrever sobre algumas profissões existentes na Roménia e que nunca vi em mais local nenhum.

  • o Sr. que vigia as portas. Como boa utp que sou uso o metro. No primeiro dia em que andei de metro julguei que o sr. que vinha espreitar à porta para se assegurar que o fluxo de pessoas se fazia "ordeiramente" era o condutor do metro. Ilusão imediatamente desfeita, quando na semana seguinte passo pela cabine e reparo que existe um condutor e que aquele sr. de pé e que espreitava ao longo do metro era, nada mais nada menos, que o sr. que vigiava as portas do metro!!
  • o Sr. da balança. Na zona onde trabalho existem quiosques de flores, um quiosque de crepes, um dos vários macdonalds cá do sitio, várias banquinhas a vender de tudo um pouco e nos dias de sol, um sr. sentado num banquinho com uma balança à frente. Pela módica quantia em ron que desconheço uma pessoa pesa-se ali, em frente a todos os trauseuntes, mas fica a saber o seu peso!
  • a sra. do elevador. Na minha primeira experiência no ministério dos transportes dou por mim dentro dum elevador com uma sra. sentada num banquinho perto dos botões. Etaj? perguntou ela quando entramos no elevador. Se o elevador pára ela mantem a porta aberta com o seu delicado pé e vai carregando alegremente nos botões que lhe vão sendo indicados...
  • os guardiões das máquinas fotográficas. Sabem aquelas máquinas fotográficas em que a pessoa se senta num banquinho, sorri e aparvalha completamente com os amigos e tira umas fotos completamente loucas?!? Pois essas máquinas aqui têm uma rapariga ou um rapaz ao lado, sentada/o numa cadeira, a ler uma revista. Só trabalham quando aparece alguém que necessita tirar fotos (o meu caso!!)

Se entretanto encontrar mais alguma profissão entusiasmante por aqui eu aviso!!

 


Clica-me: , ,

Sangrado por Vlada às 20:40
link do post | Morde! | Dentadinhas (2) | favorito

Sobre Vlada
To put meaning in one's life may end in madness,
But life without meaning is the torture Of restlessness and vague desire - It is a boat longing for the sea and yet afraid. By Edgar Lee Masters
Outubro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


Últimos escritos

to all my readers and vie...

Em Espírito Natalício

Crazy Loop

Segunda-feira de Manhã no...

Citadela Medieval de Raşn...

1 de Decembrie

Castelul Bran

Living in the dark

Perspectivas...

Overheard!

Uma Gota de Chuva na Cara

With the sun in the tip o...

Riddles... part II

It's raining Cats and Dog...

Centro de Língua Portugue...

Finalmente...

Notas Dietéticas

Wristcutters - a Love Sto...

Discussões Botânicas

Dança das Estrelas

Riddles...

frase de segunda-feira

Não faças um rascunho da vida,
podes não ter tempo de a passar a limpo...
Pergaminhos

Outubro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Clica-me

todas as tags

Mordidelas Interessantes
procuras algo?
 
subscrever feeds